Rede EMAÚS - Fica conosco Senhor!

Segunda, 22 Agosto 2016 12:03

Neste terceiro final de semana a Igreja lembra dos Religiosos Destaque

Escrito por 

Neste terceiro final de semana a Igreja lembra dos Religiosos

Homens e mulheres que consagram suas vidas a Deus e ao próximo.
Desta vocação brotam os carismas e atuações que enriquecem nossas comunidades com pessoas que buscam viver verdadeiramente seus votos de pobreza, obediência e castidade.
São testemunhos vivos do evangelho.
Perseverantes, os religiosos estão a serviço do povo de deus por meio da oração, das missões, da educação e das obras de caridade.
Com sua vida consagrada, eles demonstram que a vida evangélica é plenamente possível de ser vivida, mesmo em um mundo excessivamente material e consumista.
São sinais do amor de deus e da entrega que o homem e a mulher são capazes de fazer ao Senhor.
Entre tantos podemos destacar alguns:

Irmã Dulce: 
Irmã Dulce (1914-1992) foi uma religiosa católica brasileira que dedicou a sua vida a ajudar os doentes, os mais pobres e necessitados. Foi beatificada pelo Papa Bento XVI, no dia 10 de dezembro de 2010, passando a ser reconhecida com o título de "Bem-aventurada Dulce dos Pobres". Será canonizada se for comprovado um segundo milagre.

Santa Paulina:
Madre Paulina (1865-1942) foi uma religiosa ítalo-brasileira. Primeira santa brasileira, foi canonizada em 2002, recebendo o nome de Santa Paulina do Coração Agonizante de Jesus. Foi beatificada pelo papa João Paulo II, quando de sua visita à Florianópolis, Santa Catarina. Madre Paulina participou da vida paroquial na Capela de Nova Trento e foi encarregada de dar aulas de catecismo para as crianças. Dedicava parte do seu tempo para cuidar de pessoas enfermas.

Madre Tereza de Calcutá:
Madre Teresa de Calcutá (1910-1997) foi uma missionária católica albanesa.Logo cedo descobriu sua vocação religiosa. Com dezoito anos entrou para a Casa das Irmãs de Nossa Senhora do Loreto. Criou a Congregação Missionárias da Caridade. Dedicou toda sua vida aos pobres. Em 1979 recebeu o Prêmio Nobel da Paz. Foi Beatificada pela igreja católica em 2003.

Padre Dehon: 
Sociólogo, escritor, advogado e padre. Fundador da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus. Sua vida foi um constante caminhar. Sonhador, lutador, teve decepções, surpresas, alegres e tristes. Aprendeu a amar a Igreja. Soube ouvir os gritos numa França cheia de desafios. Fundou jornal, revista, publicou livros, escreveu muito nos meios de Comunicação Social de então, e deixou-nos por herança: O Sagrado Coração de Jesus.

São tantos os religiosos, a grande maioria num agir anônimo, que fazem a Palavra e o exemplo de Jesus estar mais próximos a nós.

Rezemos pelas vocações religiosas, pelos religiosos (as).

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.